Prefeitura de Guarulhos

Você está em:

Notícias

Educação

Programa de Formação Permanente

Inscrições para cursos do 2º semestre começam dia 25/7

A Secretaria de Educação divulga a programação de cursos para o 2º semestre do Programa de Formação Permanente 2015. Os cursos são oferecidos a professores da Rede Municipal de Guarulhos, das Conveniadas, Entidades do MOVA e para a comunidade.

Para se inscrever, os professores interessados devem acessar o endereço eletrônico portaleducacao.guarulhos.sp.gov.br, a partir das 9h do dia 25 de julho. O sistema receberá inscrições até às 20h do dia 1º de agosto.

Além das inscrições que são realizadas online, há cursos que exigem envio de e-mail para o endereço Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. , informandonome do curso, nome completo do interessado, Código Funcional [quando houver], CPF, horário de trabalho, telefone e e-mail para contato. Nesses casos, o período de inscrição vai de 25 a 29 de julho.

Dentre os cursos disponíveis aos professores e profissionais do quadro do magistério da rede municipal estão: Contação de Histórias, Canto Coral, Dança Contemporânea, Ensino e Alteridades, Inventário Patrimonial, Língua e Cultura Espanhola, Braile, Estudos sobre o Desenho, Alfabetização e Letramento, Alfabetização Matemática, Teatro, Consumo Sustentável e Educação para o Trânsito.

Para acessar a programação de cursos para o 2º semestre do Programa de Formação Permanente 2015 e demais orientações, clique aqui.

 

Mostra da Educação Municipal

Inscrição de trabalhos vai de 27/7 a 14/8

Entre os dias 27 de julho e 14 de agosto, as Escolas da Prefeitura, CEUs, instituições conveniadas da Educação Infantil e do MOVA podem inscrever trabalhos para a 6ª Mostra da Educação Municipal. As inscrições deverão ser realizadas no Portal de Sistemas no endereço eletrônico portaleducacao.guarulhos.sp.gov.br.

Este ano, a 6ª Mostra da Educação Municipal terá como tema: Autonomia Pedagógica: socializando saberes e práticas na perspectiva de uma educação em direitos humanos. A iniciativa busca avançar na qualidade social da educação, revelando saberes, socializando práticas com foco na autonomia pedagógica e no trabalho da educação em direitos humanos.

Nesta edição, todas as inscrições serão feitas online. Os trabalhos inscritos de uma escola serão avaliados no seu conjunto por um profissional-referência, responsável por verificar a relação com os demais trabalhos da escola e se os mesmos atendem a proposta da Mostra.

A descentralização nas apresentações dos trabalhos continua como marca da 6ª Mostra, podendo ser apresentados no Adamastor, nas próprias escolas, CEUs e instituições conveniadas.

As categorias disponíveis para inscrição são: Espetáculo, Conversando Sobre, Exposição, Escola, Câmera e Ação, Conferência e Mesa Redonda. Nesses espaços, as Escolas da Prefeitura, CEUs e entidades conveniadas podem inscrever projetos, atividades e trabalhos realizados com crianças, jovens e adultos, desde a Educação Infantil à EJA.

Os critérios específicos de cada categoria constam no item 4 “Dos Critérios de Inscrição por Categorias” do texto de orientções gerais da 6ª Mostra.

Os trabalhos apresentados devem ter relação com o Quadro de Saberes Necessários e evidenciar o Projeto Político-Pedagógico das escolas e instituições. Haverá certificação conforme estabelecido no item 5 “Da Certificação”, que consta no texto de orientações gerais para participação na Mostra.

Saiba mais sobre as Categorias da Mostra

Na categoria Espetáculo, os processos educativos realizados nas escolas podem ser apresentados como peças teatrais, coral, jogral, performance e contação de histórias.

O Conversando Sobre caracteriza-se como um espaço de diálogo, interação e socialização de práticas desenvolvidas durante o processo ensino-aprendizagem.

Na categoria Exposição, as escolas podem apresentar trabalhos relacionados ao meio plástico, como esculturas, pinturas, gravuras, objetos, instalações, etc. Além disso, nessa categoria o registro das atividades nas escolas pode ser apresentado ainda como produção midiática na modalidade Mídia.

A categoria Escola, Câmera, Ação se caracteriza como um espaço de encontro e socialização de saberes, no qual os participantes são convidados a mergulhar em um universo simbólico.

Este ano, as Conferências e Mesas-Redondas têm como eixo os temas Autonomia Pedagógica e Direitos Humanos.

Para acessar o texto de orientações da 6ª Mostra da Educação Municipal, clique aqui.

 

Funcionário da SE cria museu em sua casa

O espaço já conta com mais de 850 itens

Uma obra no terreno vizinho. Um muro caído. Um grande buraco que quase chegou a derrubar a casa. O que para muitos podia ser motivo de completo desespero foi a solução encontrada para que a família do funcionário da Secretaria de Educação, Rafael Francis Gonzalez, colocasse em prática um antigo sonho.

Amantes inveterados de peças antigas, Rafael, seu pai Wilson Gonzalez e sua mãe Tânia Aparecida Zanardi Gonzalez contam que na casa já havia itens como rádios, jornais e ferramentas antigos, guardados pelo avô de Rafael, falecido há mais de 40 anos.

Com a movimentação da obra no terreno ao lado, o muro da casa de Rafael cedeu e abriu um grande buraco de 40m2. Então, diante da necessidade de construção de uma parede para que toda a estrutura da casa não ruísse, Rafael teve a brilhante ideia de organizar as peças antigas numa espécie de museu.

“Meu pai ficou tão nervoso que chegou a ficar doente”, conta Rafael. A ideia de construir o museu “caiu como uma luva” para atender a necessidade da família Gonzalez, que há muito tempo precisava de um espaço adequado para as relíquias, muitas delas cujo valor é inestimável.

Uma viagem no túnel tempo

O contato com os itens da coleção da família Gonzalez desperta uma sensação muito interessante de viagem no tempo. Em cada canto do museu onde nossos olhos se fixam é possível encontrar indícios de história viva, de transformação, de memória e passados afetivos. 

Um exemplo desse movimento entre passado e presente são as 26 câmeras fotográficas da coleção, composta por equipamentos do começo do século XX a modelos mais atuais, da década de 1980. Projetores de 8 e 16 milímetros, filmadoras VHS e vídeos cassete, um deles de uma cabeça, também são a sensação de quem se lembra de um passado não muito distante, quando a tecnologia começou a invadir as barreiras do obsoleto.

De origem espanhola e italiana, pai, mãe e filho envolvem os poucos visitantes com a riqueza de detalhes de suas histórias, sobretudo aquelas ligadas ao modo como determinada peça chegou até eles. Infelizmente, Wilson explica que, no momento, o espaço não está aberto a visitação, mas vem estudando propostas para isso.

Desde quando começaram a adquirir peças, muita coisa mudou. Mas, certamente, o incrível binóculo de corridas a cavalo que tira fotos à noite, as edições de O Estado de São Paulo de 1932, que noticiou na capa a Revolução Constitucionalista, e a do Jornal Extra, de 1958, cujo destaque era a conquista da Copa do Mundo pelo Brasil, e a lanterna de Maria Fumaça, que indica com as luzes branca e vermelha os momentos de chegada e partida da composição, encantam os aficionados por história.

Muito além da imaginação

Tânia é professora e explica que além de comprar itens para o museu, Wilson e o filho se dedicam a restaurar peças, muitas delas quebradas e que por meio do carinho da família voltam a ter vida: “eles encontram muitas coisas por suas andanças por aí, fazem a restauração e eu dou um acabamento final. Amo pintar”. Tânia não mente, tanto dentro do museu como na bela sala de sua casa, seus quadros encantam o ambiente.

Com mais de 850 itens não catalogados, o museu começou a ser montado em meados de 2007. Wilson conta como consegue os itens: “normalmente, as peças são adquiridas por meio de doações, compras em feiras especializadas, sites de busca na internet. Nós encontramos muita coisa jogada por ai também, como as plantas que estão no jardim, nenhuma delas foi comprada, todas foram resgatadas da rua”.

Dentre os itens mais comuns do museu podemos encontrar: eletrodomésticos, rádios, vitrolas, secadores de cabelo, ferros de passar roupa, fogão, motocicleta, telefones, ferramentas de sapateiros, moedores de café de vários países, jornais e revistas, celulares antigos, rádio de avião, televisores, câmeras fotográficas, relógios, brinquedos, bicicletas, barris, espada, moendas diversas, debulhador de milho, canhão, além de outros tantos artigos desconhecidos, que foram extremamente úteis outrora.

A família Gonzalez aceita todo tipo de doação, mas tem algumas ressalvas em relação a alguns itens: “nós não colecionamos móveis e artigos grandes que ocupam muito espaço. Máquinas de escrever, moedores de carne e discos de vinil também não são novidades, e os exemplares destes que possuímos já dão a ideia da importância que essas peças tiveram no passado”, explica Rafael.

 

 

Brincando nas Férias

Atividades acontecem nos CEUs até 29/07

Diversão, alegria, resgate de brincadeiras, gincanas, descontração, vivências esportivas e apresentações teatrais são algumas das atividades do programa Brincando nas Férias que segue até o dia 29 de julho, espalhadas em todos os CEUs da cidade.

A programação especial destacou ainda o projeto Na Pista Certa, ação em parceria com a Fundação MAPFRE que oportunizou às crianças e jovens da comunidade do CEU Cumbica vivências relacionadas a segurança  no trânsito como  sinalização viária, atitudes solidárias no trânsito, bem como a utilização de regras de convivência e valores humanos positivos.

Para tanto, a MAPFRE criou um espaço cenográfico comestrutura modular e itinerante, no qualmonitores devidamente treinadosapresentam conteúdos que os participantes assimilam e vivenciam imediatamente por meio de atividades lúdicas e pedagógicas

“Eu aprendi sobre as placas, cores do farol e o lado certo de andar de bike na rua”, conta animado o aluno Pedro Henrique Santos Isidoro de 9 anos.

O colega e parceiro de brincadeiras Vinicius Gabriel Santos Isidoro [11] exemplifica alguns dos saberes aprendidos durante a vivência.

"O projeto é muito interessante. Umas coisas que aprendi é que no retorno só podemos entrar pela direita, e quando a placa esta mostrando para um lado sem o x é obrigatório entrar. Aprendi também a não sujar a rua que nem o doutor sinistro da peça de teatro. Gostei muito se tivesse mais uma semana iria querer vir todos os dias". 

Desde o seu início em 2007, o programa já contabilizou a participação de aproximadamente 90 mil crianças e mais de 800 escolas em todo o Brasil e visa incentivar o público infantil a adquirirem comportamentos e atitudes responsáveis em relação ao trânsito.

Além de informareconscientizarsobreasrelaçõesentretransporteparticular,coletivoemeio ambiente, o Projeto aborda temas como emissão de gases poluentes, poluição sonora, entre outros.

Para acessar a programação completa, clique aqui.

 

 

 

Patrícia Galvão participa de Projeto Gtran Educa

Parceria com a GCM aborda respeito às leis de trânsito

Conscientizar os alunos sobre a importância de conhecer e respeitar as regras de trânsito por meio de diferentes linguagens de forma lúdica e prazerosa. Essa foi a proposta da EPG Patrícia Galvão, que em parceria com o Projeto Gtran Educa, da Guarda Civil Municipal de Guarulhos [GCM], elaborou atividades para despertar a percepção individual e coletiva em relação ao trânsito e à cidadania.

Num movimento de construção coletiva, os carrinhos foram confeccionados com materiais reutilizáveis, como papelão, atividade que envolveu toda a equipe escolar. 

A coordenadora pedagógica Patrícia Elaine Tapetti Fonseca ficou muito satisfeita com a proposta: “para levar a educação de trânsito para as Escolas da Prefeitura, os guardas municipais do Projeto Gtran Educa adaptaram as atividades de acordo com a faixa etária das crianças”, explica.

Tudo isso contribui para que tenhamos um futuro melhor, com menos acidentes e mais respeito aos pedestres e motoristas”, complementa a coordenadora Maria da Conceição de Andrade Pinto.

O guarda civil Wagner Cardozo demonstrou alegria por participar da iniciativa na EPG Patrícia Galvão: Cheguei em casa sem voz e muito feliz por ter passado o dia com vocês, agradeço de coração. Foi um dia muito proveitoso para a equipe Gtran Educa e os carrinhos ficaram lindos! Parabéns a todos da escola.” 

 

Pastor Sebastião Luiz da Fonseca
Projeto de sustentabilidade envolve alunos do Fundamental e EJA

Com o objetivo de apresentar aos pais e familiares os resultados da primeira etapa do Projeto anual "Sustentabilidade - O Dever É Nosso", gestores e professores da EPG Pastor Sebastião Luiz da Fonseca promoveram exposição de trabalhos dos alunos do Ensino Fundamental e da EJA. A coordenadora do Ensino Fundamental, Débora Bomjardim Alves dos Santos, explica que a proposta tem uma frase para orientar a elaboração dos trabalhos: “Um mundo sustentável é ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável”.

 

“A partir deste universo de ideias, as crianças, jovens e adultos produziram trabalhos com temáticas sobre lixo, reciclagem, água e energia”, esclarece a coordenadora da EJA Mônica Regina de Melo Nascimento.

Dentre os destaques da exposição está a apresentação dos alunos dos 5º anos, intitulada “Cups Star", na qual foram utilizadas latinhas de refrigerante.  

 
Página 6 de 132